Os criminosos estão interessados em todas as fontes monetárias e até os negócios mais pequenos baseados na web, podem ser um alvo preferencial. Se por um lado atacar grandes organizações poderá dar mais lucro, é necessário contornar diversos sistemas de protecção, muito eficazes, para a que o roubo tenha sucesso. No caso das pequenas empresas, o lucro poderá ser menor, mas, na grande maioria dos casos, será mais fácil contornar os sistemas de protecção. Ou seja, uma fonte monetária mais imediata.

autoc

Um estudo recente conduzido pelo Ponemon Institute a pequenas empresas nos Estados Unidos, concluiu que 55% dos inquiridos sofreram pelo menos um roubo de informação, especialmente a nível dos registos de transações electrónicas. Já 53% tiveram mais do que um problema de segurança.

De acordo com Angie Keating, CEO da Reclamere, uma empresa especializada na segurança de dados, “Ouvimos com regularidade problemas alusivos a falhas de segurança nas empresas, porém não sabemos que elas acontecem todos os dias a pequenas e médias empresas”.

Cada vez mais empresas estão a adquirir soluções que possam proteger a empresa das consequências financeiras resultantes de falhas de segurança. Entre 2011 e 2012, o número de empresas que investiram em soluções de segurança cresceu 33%.

Para pequenas empresas, o site é normalmente a parte principal do negócio. Em muitos casos e devido a limitações financeiras, estas páginas encontram-se pouco protegidas e por esse motivo tornam-se num alvo preferencial para os cibercriminosos que podem com facilidade roubar os dados dos clientes e informações bancárias alusivas a pagamentos.

O que pode fazer?

Infelizmente não é fácil resolver este problema e os ataques a pequenas empresas deverão continuar nos próximos tempos. A única solução é que as empresas passem a proteger-se com toda a eficácia.

Nomeie um colaborador com conhecimentos técnicos que fique responsável pela segurança do software utilizado na empresa. Ele terá de verificar com regularidade se todas as aplicações instaladas se encontram na última versão disponível e deverá estar treinado para dar uma rápida resposta a problemas de segurança.

Um aspecto crucial passa pela manutenção do servidor web, uma vez que é o ponto de entrada do cibercrime. Todo o software instalado deverá ser verificado e deverá existir uma solução antivírus eficaz a ser executada no servidor.

Para além do referido acima, todos os colaboradores que utilizam diariamente o computador devem ter formação acerca de boas práticas de navegação on-line, devem reforçar as suas palavras-passe e não darem nenhum clique em ligações suspeitas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*