Os avisos de segurança dados pelo browser têm como principal objectivo protegerem os seus utilizadores, de páginas online com esquemas fraudulentos e malware. Porém, a fadiga que advém da leitura de avisos recorrentes, pode fazer com que os mais importantes sejam ignorados por completo.

O estudo que foi realizado pela empresa de estudos de mercado, U.C. Berkeley, concluiu que, os utilizadores do browser Google Chrome ignoram os avisos SSL (protocolo seguro utilizado para palavras-passe, transacções via Internet e acesso à conta bancária) em 70.2% das vezes.

“Os avisos de segurança do Google Chrome relativos aos avisos SSL foram ignorados em 70.2% das vezes. Tal descoberta pode significar que, ou os utilizadores não dão importância aos avisos, ou o browser envia demasiados alertas causando fadiga ao utilizador” afirma a empresa de estudos de mercado.

Os investigadores analisaram a dimensão, o tipo e a frequência das mensagens de aviso e chegaram à conclusão que os utilizadores tendem a ignorar mais rapidamente avisos acerca de certificados SSL inválidos e erros com hora e data. Importa salientar que a fadiga tem um impacto muito significativo em tudo isto. Os erros mais frequentes, são os mais ignorados.

Porém, nem todos os avisos são ignorados pelos utilizadores. Os investigadores concluíram nesta análise que os estudos anteriores – reveladores de que os avisos nos browsers não funcionavam – baseavam-se em dados muito antigos, recolhidos entre 2002 e 2009.

Agora e embora diversos tipos de avisos sejam amplamente ignorados, outros – em particular os que surgem nos browsers com elevada dimensão e cores garridas – têm muito impacto nos utilizadores.

Outro aspecto interessante revelado pelo estudo é que curiosamente, os utilizadores com conhecimentos mais técnicos, são os que têm mais tendência para ignorarem os avisos.

“Os utilizadores tecnicamente mais avançados podem sentir-se confiantes na segurança dos seus sistemas, serem mais curiosos acerca de sites bloqueados ou considerarem que os avisos se dirigem a utilizadores menos experientes”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*