Um malware disfarçado como vídeo do Facebook infectou até 800,000 computadores, de acordo com uma empresa de segurança italiana. O malware interfere com o browser de modo a que consiga recolher palavras-passe, utilizando um plugin falso para o Google Chrome.

Em conversa com o blog Bits do New York Times, o investigador Carlo de Micheli afirma que “o malware espalha-se em hiperligações, emails ou mensagens do Facebook informando os utilizadores de que foram identificados na rede social mais famosa do mundo. Quando os utilizadores dão um clique na hiperligação, são convidados a descarregarem uma extensão para o browser.”

Ainda de acordo com este investigador, este malware está a espalhar-se a um ritmo de 40,000 ataques por hora e já infectou mais de 800,000 utilizadores. Esta empresa de segurança, avisa que já se encontra a circular uma versão especialmente dirigida a utilizadores do Firefox.

“Há alguns anos atrás, provavelmente diria a um amigo para não carregar nos anexos que chegam por e-mail. Agora o mesmo aplica-se a addons para os browsers”.

Esta técnica de disfarçar malware como um add-on para browsers não é nova. Recentemente a ESET alertou para o facto de um popular add-on, o Orbit Downloader, conter código malicioso. Saiba mais em http://www.welivesecurity.com/2013/08/21/orbital-decay-the-dark-side-of-a-popular-file-downloading-tool/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*