A segurança das crianças on-line, no mundo de hoje, representa um verdadeiro desafio para os pais. Com a generalização do acesso a computadores e dispositivos electrónicos, os pais de hoje sofrem a pressão de assumirem uma tarefa dupla: educarem-se para poderem educar. Esta talvez seja a melhor resposta a eventuais problemas e ainda a solução mais eficaz para que os nossos filhos nunca se transformem em vítimas.

No decorrer da infância, as crianças acabam por conhecer pessoas que terão um papel muito importante na sua vida, como por exemplo: familiares, amigos, professores. Porém, nenhuma dessas pessoas irá substituir a figura dos pais, que são a maior referência para seus filhos.

À medida que a criança cresce, vai apresentando diferentes problemas. A educação deve estar presente desde o início, já que isso irá ajudar a facilitar a compreensão das medidas de segurança. A partir do momento em que ela começa a manifestar interesse pelo computador e pela web, deve passar a ter algumas noções sobre a segurança na Internet. O meio muda, contudo, as ameaças continuam sendo as mesmas.

Enquanto as crianças actuais costumam ser nativos digitais que nasceram junto de um computador, os pais incorporaram este hábito já na vida adulta. No entanto, isto não significa que os filhos devam ter o controlo do computador na família. Não é necessário que os pais saibam mais que os filhos sobre o que está disponível na rede.

Porém, o adulto deve manter o controlo, e, ao encontrar algo desconhecido, esse é o momento de se juntar ao seu filho e informar-se a respeito, gerando um ambiente de colaboração familiar, com paciência e compreensão.

Eis algumas das principais regras para manter os seus filhos seguros:

Acompanhe-os nas suas primeiras experiências na web

Assegure-se que está presente nos seus primeiros passos. Os primeiros contactos das crianças com a Internet são uma boa oportunidade para sentar-se com eles e guia-los através desta nova aventura

Defina condições para o uso da Internet

Em primeiro lugar, devem-se estabelecer as regras para a utilização da Internet. Supervisione a quantidade de horas e fixe horários para acesso à Internet.

Seja um bom exemplo

As crianças geralmente seguem o exemplo dos pais, seja na Internet ou não. Se os demais membros da família mantém uma conduta positiva, ela será transmitida automaticamente aos filhos.

Utilize ferramentas de Controlo Parental

Aproveite que a tecnologia existe e use-a a seu favor. As ferramentas de controle dos pais permitem bloquear sites que contenham material potencialmente ofensivo. Em alguns casos, é possível impedir o acesso a determinada categoria de páginas. O ESET Smart Security pode ajudá-lo.

Ensine-os a não partilharem informações que possam identificá-los

É importante esclarecer aos seus filhos que, no mundo virtual, nem todas as pessoas são amigas e que algumas podem fazer-lhes mal. Por isso, é necessário não partilhar informações como: Endereço, telefone, locais que frequentam ou onde estudam, etc. Por sua vez, a criança deveria estar devidamente autorizada pelos seus pais, antes de partilhar fotos com familiares na Internet.

Mantenha o diálogo aberto

Estimule a comunicação com seus filhos sobre o que eles vêm na Internet.

Ninguém deve conhecer as suas palavras passe

As palavras-passe são como as chaves de casa. Não devem existir cópias nas mãos de estranhos. Nunca se deve fornecer uma palavra-passe a um suposto funcionário, seja pela Internet ou pessoalmente, visto que isto nunca deverá ser solicitado por nenhum operador de Internet, serviço de e-mail ou qualquer outra organização.

Informar sobre abusos imediatamente

O cyberbullying é a manifestação dos abusos pessoais através da Internet. Os seus efeitos, ferem a criança psicologicamente de forma recorrente e repetitiva. Por isso, deve-se orientar a criança para informar seus pais imediatamente, no caso de ocorrer algo desse tipo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*