Muitos utilizadores estão conscientes acerca dos grandes riscos que existem na Internet, porém não é apenas através das navegações que as ameaças chegam ao nosso computador. Pequenas coisas como utilizar uma conta de administração no computador quando não existe necessidade, podem ajudar os cibercriminosos a apoderarem-se do nosso computador. Nas próximas linhas damos-lhe algumas dicas para uma utilização mais segura.

As contas de administração

A maioria dos sistemas operativos permitem a criação de diversas contas de utilizador no mesmo computador – porém muitos de nós utilizam apenas uma com privilégios de administração. Se não seguir este caminho, estará muito menos vulnerável. Dito de outro modo, se utilizar uma conta com menos privilégios e o malware entrar no seu computador, irá causar muito menos danos, devido a um raio de acção e acessos mais limitado.

Mudar o aspecto do browser

É tentador pensarmos no nosso browser como uma janela que dá acesso à Internet e que podemos personalizar a nosso gosto – porém é um erro. Esta janela pode transformar-se rapidamente em porta de entrada para os cibercriminosos. Não armazene as palavra-passe no seu browser – ou qualquer outra informação. Para além disso não descarregue e instale plugins que possam causar dúvidas quanto aos verdadeiros objectivos.

É certo que a palavra plugin parece sugerir algo menos perigoso do que descarregar um ficheiro executável, porém a ESET tem detectado diversos plugins maliciosos. Mantenha o seu browser limpo e não envie informações aos cibercriminosos.

Ignore pequenas caixas de aviso

Qualquer aviso que surge quando liga o seu PC é provavelmente importante e mesmo que por vezes fique cansado de todas as actualizações, faça-as sempre que necessário. Assegure-se também que o sistema de actualizações automáticas do Windows está activo e instale todas as novas versões sempre que lhe for solicitado. Estas actualizações raramente servem para adicionar novas funcionalidades e destinam-se especialmente a prevenir que os cibercriminosos tenham acesso ao seu computador.

Menos quantidade mais qualidade

É certo que muitos utilizadores gostam de coleccionar amigos nas redes sociais – na grande maioria dos casos pessoas que não conhecem – porém, está é uma má ideia porque na lista de amigos desses cibernautas poderão estar muitos cibercriminosos. Não adicione no Facebook pessoas que não conhece e para além disso não partilhe os seus estados ou fotografias com amigos de amigos. Não deverá também colocar o seu número de telemóvel ou telefone nas suas informações de perfil, nem tão pouco o endereço de e-mail. O novo motor de busca do Facebook pode tornar essas informações acessíveis a pessoas que não conhece. Ainda mais importante, não clique por impulso em ligações que surgem no Facebook. O malware disponibilizado nas redes sociais está a aumentar. Um vídeo engraçado pode ser uma porta de entrada para os cibercriminosos.

Atenção às palavras-passe

Utilizar uma única palavra como palavra-passe é algo bastante inseguro – presa fácil para os “ataques de dicionário” que os cibercriminosos utilizam para descobrirem passwords. Adicionar mais palavras à palavra-passe, mudando, por exemplo, “teste” para “testedepalavrapasse” – é um bom primeiro passo.

Porém de acordo com David Harley, investigador sénior da ESET, “isto funciona até certo ponto. Utilizar mais palavras é útil, porém os dicionários utilizados pelos cibercriminosos podem incluir frases mais usadas, para além de palavras únicas. Porém, utilizar uma frase em combinação com outras técnicas, como a intercalação, as substituições de caracteres, caracteres especiais e assim por diante, faz a diferença”.

Sites que exigem a utilização de caracteres especiais como parte constituinte das palavras passe frequentemente levam os utilizadores a adicionarem um caractere especial no fim da password. Este facto, mais uma vez, facilita o trabalho dos criminosos.
Utilizando a matemática pode criar uma senha segura e da qual se lembre. Algo como “1hundred+5 = Threehundred” é longo o suficiente para ser seguro, tem uma boa mistura de caracteres e consegue ser facilmente memorizada.

O tamanho é mais importante que a complexidade, desde que não utilize apenas uma palavra longa. As palavras passe longas, constituídas por vários elementos, são mais seguras que as curtas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*