A ESET, pioneira em soluções de segurança, está a sensibilizar todos os utilizadores para os perigos de um bicho-papão que assola habitualmente a Internet, o rasomware, lançando sob pretexto do Halloween uma campanha de promoção de uma das suas soluções de segurança online.

O rasomware é um tipo de malware que restringe o acesso ao sistema que de alguma forma o afeta e cobra um valor de “resgate” (ransom) para que o acesso possa ser reestabelecido.

“Existem muitas coisas assustadoras no mundo e no Halloween todas elas ficam em destaque,” comentou Ondrej Kubovič, Especialista de Segurança na ESET. “O seu medo envolve aranhas, zombies, fantasmas, filmes de terror ou provém do ciberespaço? Muitos utilizadores online provavelmente responderiam o último depois da sua experiência com ransomware.”

Este medo justifica-se pelos métodos que o rasomware escolhe quando ataca os utilizadores. Umas vezes ocupa o ecrã do computador dos utilizadores, exibindo um aviso (falso) da polícia local onde é referido que o computador possui dados ilegais, sendo por isso necessário o pagamento de centenas de euros de multa. Noutras situações envolve colocar um enorme temporizador em contagem decrescente no centro do ecrã. Se o utilizador não obedecer dentro do tempo estipulado, arrisca-se a perder o acesso a dados valiosos, que estão agora encriptados pelo malware.

A ideia dos cibercriminosos é sujeitar os utilizadores a sentimentos de medo, forçando-os a atuar sobre pressão, o que convida a erros de utilização. O seu objetivo é simples: extorquir dinheiro – e no pior dos cenários, nem sequer descodificar a informação capturada.

Bicho-papão também nos dispositivos móveis

Os ataques do rasomware já não se resumem aos PCs e laptops, surgindo agora também em plataformas móveis de formas cada vez mais sofisticadas. A ESET alerta: é preciso ser ainda mais cuidadoso nos dispositivos móveis.

Por exemplo, o Android/Lockerpin.A descoberto apenas há algumas semanas pela ESET. É um rasomware que ataca diretamente no ecrã de bloqueio, estabelecendo um novo código (PIN) nesse ecrã. O utilizador é depois forçado a pagar 500 dólares pela alegada visualização e armazenamento de materiais pornográficos proibidos.

Em 2014, a ESET detetou outro malware engenhoso de nome Simplelocker. O seu objetivo era examinar o cartão SD do smartphone Android infetado, procurando por extensões específicas e encriptando os ficheiros até o resgate ser pago.

O truque para ficar protegido

A ESET tem disponível uma lista com conselhos sobre como os utilizadores se podem proteger em casos de infeções por rasomware, mas também por outros tipos de malware. No essencial, de acordo com a especialista em soluções de segurança, tudo se resume a prevenção. “Ter backups do sistema, mantê-lo atualizado e usar uma solução de segurança fiável são os primeiros passos para manter o bicho-papão à distância e expulsar os seus piores pesadelos do ciberespaço,” conclui Ondrej Kubovič.

Mesmo a tempo do Halloween, a ESET lançou uma campanha de promoção para o produto ESET Smart Security. Válida de 31 de outubro a 1 de novembro (este Sábado e Domingo), esta campanha permite-lhe adquirir a solução de segurança na loja online, utilizando o código de desconto (HALLOWEEN), por apenas 24,84 €.

Para mais informações, visite https://loja.eset.pt/index.php?voucherid=HALLOWEEN

Campanha disponível a partir da meia noite de Sexta-Feira e até ao final do dia de Domingo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*