A ESET, empresa pioneira em soluções de segurança, divulga hoje o seu relatório “Trends 2016: (In)Security Everywhere”. Elaborado com base na informação recolhida pelos laboratórios de investigação da ESET, este relatório revela importantes problemas, eventos e desafios para 2016.

Ano após ano, os laboratórios de investigação da ESET analisam alguns dos mais importantes eventos do ano a nível mundial e verificam o seu impacto em empresas e consumidores.

Novas tecnologias, relatórios de ataques, novas famílias de malware e falhas de segurança: – a velocidade com que estes fenómenos surgem, em grande número, torna a segurança num desafio cada vez mais importante para negócios, empresas, governos e utilizadores em todo o mundo.

Em 2016, o relatório “Trends 2016: (In)Security Everywhere” analisa diversas áreas distintas, onde se destacam os perigos relacionados com a crescente conetividade, o ramsomware, os ataques direcionados, o Windows 10, entre muitos outros.

  • Internet das Coisas: como irá a crescente conetividade influenciar as empresas que consideram a segurança um elemento de extrema importância para as suas operações?
  • Ransomware: com o surgimento diário de novas variantes, este tipo de malware é cada vez mais preocupante para negócios e utilizadores domésticos.
  • Ataques direcionados: como irão a ciberespionagem e APTs afetar-nos no futuro?
  • Crimeware: quais os requisitos necessários para nos protegermos contra novas famílias, técnicas e campanhas de malware?
  • Exposição: como irão as falhas de segurança afetar empresas e vítimas inocentes?
  • Segurança Mobile: o que podemos esperar da tendência de malware móvel?
  • Windows 10: um olhar sobre as funcionalidades de segurança e privacidade.
  • Infraestruturas críticas: análise de como os sistemas críticos estão em risco crescente.
  • Leis e regulamentações: como estão os standards a ter impacto sobre os sistemas e pessoas?

Para a ESET a segurança da informação não depende apenas dos sistemas instalados nas empresas para bloquearem os ataques dos cibercriminosos, mas também da preparação e educação dos colaboradores para defenderem os seus dados, sistemas e infraestrutura. É necessário aceitar os desafios e assumir responsabilidades para melhorar e manter a segurança da informação.

Para mais informações, por favor faça download e consulte o relatório “Trends 2016: (In)Security Everywhere” ou leia mais em WeLiveSecurity.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*