Quando a revista WIRED publicou em Julho do ano passado (veja aqui) um artigo acerca do “hacking” a um veículo em movimento, muitos julgaram que se tratava de um exagero, algo que seria muito difícil, senão impossível, de concretizar.

Acontece que, infelizmente, não há aqui qualquer tipo de exagero: o veículo referido no artigo foi mesmo “hackado” remotamente, sem acesso físico ao automóvel. Isto significa que alguém, a uma distância considerável, conseguiu que o veículo deixasse de ser controlado pelo condutor, potencialmente colocando os seus ocupantes em perigo de vida.

Pior: esta não foi, nem a primeira vez, nem a única que tal foi tentado, o que se encontra documentado em publicações académicas desde há vários anos (veja aqui e aqui). Mas se não tiver tempo nem paciência para ler documentos académicos e preferir imagens, encontra em www.cbsnews.com/news/car-hacked-on-60-minutes um vídeo que demonstra o controlo remoto total de um veículo.

Leia o artigo de opinião completo na Motor+.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*