A cada segundo que passa, a cada clique no rato e um novo ecrã lido, o mundo torna-se mais digital, interligado e virtual. As nossas vidas estão mais simples, mais desafiantes e apetecíveis. É este o poder da tecnologia.

Porém, como em tudo, existe um lado negativo – para todas as oportunidades e vantagens que surgem com a tecnologia, existem riscos e novas ameaças. Isto é algo inevitável.

Nas próximas linhas vamos analisar o impacto de uma destas ameaças. As fugas de dados, especialmente do ponto de vista de uma empresa, é um problema enorme e em grande ascensão (e quando falamos em fuga de dados, falamos de situações que podem ocorrer internamente, de forma maliciosa ou acidental). Mais e mais empresas estão cada vez mais a par desta situação, o que é algo bom, uma vez que negligenciar este problema pode ser devastador.

Embora não seja tecnicamente uma novidade, a maneira pela qual a informação sensível pode escapar de uma empresa é indicativo do “zeitgeist”. Os recursos são, em geral, digitais e, por esse motivo, conseguem sair facilmente “do prédio” utilizando os mais diversos métodos. Isto é algo a que muitas organizações ainda se estão a acostumar. E quanto mais cedo, melhor – os quatro aspetos documentados abaixo são uma prova disso.

Problema 1: Perdas Financeiras

Qualquer pessoa pode bater recordes, mas por todas as razões erradas, como o Sistema de Saúde de St. Joseph aprendeu recentemente. Como resultado de “uma configuração de segurança mal feita”, 31.000 registros de saúde dos pacientes foram expostos on-line … durante quase um ano. O custo deste erro facilmente evitável? 28 milhões de dólares.

Problema 2: Danos à Marca e Reputação

No ano passado, a TalkTalk sofreu uma fuga de dados massiva que afetou 157.000 dos seus clientes. Foi algo muito falado e teve um forte impacto no que diz respeito à reputação da empresa – o prejuízo financeiro classificado na altura como grave – foi mais tarde considerado como devastador.

Problema 3: Questões Legais

Os consumidores esperam que as organizações assumam as suas responsabilidades nas questões relacionadas com as fugas de dados e legalmente falando, estas expetativas estão a ganhar cada vez mais força legislativa. A título de exemplo, no último ano, um tribunal americano decidiu atribui à FCT o poder de punir empresas que não investissem em cibersegurança.

Problema 4: Continuidade do negócio

Com cada vez mais organizações a moverem as suas operações para o on-line, ou o lançamento de empresas que apenas operam na Internet, é muito importante a preparação para todos os tipos de ameaças que possam interromper o fluxo normal das operações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*