Os fatores que determinam o desenvolvimento do malware

0
18
malware

A área da segurança informática tem sofrido diversas alterações ao longo dos últimos anos. Um bom exemplo disso, é que passámos dos primeiros programas maliciosos que foram desenvolvidos apenas para modificar o funcionamento dos sistemas, para malware cada vez mais sofisticado que tem como principal objetivo roubar informações e gerar lucro para o seu próprio criador.

Mas afinal quais são as razões que estão na base do desenvolvimento (e lamentavelmente, da eficácia) das ameaças informáticas da atualidade?

Utilização massiva da tecnologia

O primeiro fator que é tipo em conta para o desenvolvimento de uma ameaça informática é, sem dúvida, o número de utilizadores de uma tecnologia: a maior quantidade de utilizadores, aumenta a probabilidade de um ataque ser bem-sucedido. Por exemplo, um código malicioso que é desenvolvido para um determinado sistema operativo ou plataforma, terá maiores taxas de propagação e infecção se foram muitos a utilizá-la.

No entanto, isto não significa que as tecnologias menos utilizadas não estejam susceptíveis a uma ou mais ameaças. Um exemplo disso é que também se desenvolvem códigos maliciosos para sistemas operativos Linux ou Mac e inclusive para plataformas móveis.

Resumindo, quanto maior for o número de utilizadores, maior será a eficácia de um ataque.

Vulnerabilidades no Software

Nada é infalível e no software isto é uma verdade inquestionável. Por esse motivo, qualquer ferramenta pode conter falhas, quase de forma inerente. Quando uma vulnerabilidade é identificada, a possibilidade de que se desenvolvam ameaças aumenta; nesses casos é normal que os fabricantes emitam os conhecidos patches de segurança para as corrigir.

Ligações à Internet

O facto de cada vez mais dispositivos acederem à Internet também tem um papel importante no desenvolvimento das ameaças. As ligações, não obstante de todos os benefícios que trazem para os utilizadores, também significam que os atacantes podem distribuir as ameaças informáticas de forma massiva, ao mesmo tempo que podem afetar sistemas que se encontram em diferentes localizações geográficas.

Quando um sistema é infectado, um criminoso pode aceder de forma remota aos sistemas comprometidos ou obter informações que sejam transmitidas através das redes.

Ganhos Económicos

Outro fator que determina o desenvolvimento de novas ameaças está associado com os lucros que o malware pode gerar para os seus criadores. Atualmente, algumas ameaças perigosas como o ransomware têm a capacidade de gerar lucro num curto espaço de tempo, sobretudo se as compararmos com campanhas massivas de malware que roubam informações em busca de lucro à posteriori.

Ao gerar uma maior quantidade de recursos para os criadores, os mesmos são incentivados a desenvolverem mais ameaças desse tipo, cada vez mais complexas e sofisticadas.

Utilizadores pouco conscientes

As ameaças da atualidade contam com a Engenharia Social para enganarem e persuadirem os utilizadores a realizarem atividades que de outro modo não fariam e que os colocam em risco. É por esse motivo que conhecer os riscos de segurança, as ameaças mais comuns e a forma como se propagam é o primeiro passo para poder evitá-las.

É necessário que os utilizadores estejam mais conscientes para os perigos que existem na Internet e não tomem nada como garantido. Um aspeto interessante é que ataques maliciosos tão antigos como campanhas de phishing e emails com falsas promessas, continuam a ter uma elevada eficácia.

Cada dia que passa estamos mais ligados à Internet e isso significa por si só um surgimento constante de novas ameaças e vulnerabilidades. É por esse motivo que todos os utilizadores se devem manter informados acerca dos riscos atuais de segurança. Seguir o nosso blog é sem dúvida um bom começo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*