Quando o amor se torna um pesadelo: golpes em sites e aplicações de dating

A utilização de serviços de dating online, tais como aplicações de encontros ou salas de conversa virtuais para conhecer pessoas, é um fenómeno que ocorre em todo o mundo. Segundo a GlobalWebindex, na América Latina e na região Ásia-Pacífico, aplicações e sites de namoro são ou já foram utilizadas por 46% das pessoas, enquanto que nos Estados Unidos e na Europa o número é de aproximadamente 29%.

Atualmente, mais de 40% dos homens solteiros usaram uma app ou um site de dating no último mês, refere a GlobalWebIndex. Existem dezenas de apps de dating disponíveis; algumas operam globalmente, enquanto que outras só funcionam em alguns países com maior aceitação. Mas sem dúvida, duas das aplicações mais populares entre as grandes ofertas que existem são o Tinder e a Happn, que registam mais de 50 milhões de utilizadores cada .

Embora essas apps e sites prometam trazer felicidade para a vida dos seus clientes, também existe um lado mais obscuro: muitos são os golpistas que abusam desses serviços para fins nefastos, levando a um desgaste emocional e financeiro das vítimas.

Múltiplas formas de deceção

Apesar de existirem as mais diversas formas de enganar através destes sites e apps, na maioria dos casos os golpistas estudam os perfis das suas vítimas e reúnem as suas informações pessoais, como seja a sua atividade profissional, o nível de endividamento que têm ou o seu estilo de vida, porque, a má gestão das nossas informações pessoais na era digital permite, muitas vezes sem darmos por isso, a criação de um perfil bastante detalhado de uma futura vítima.

Um dos métodos mais comuns é a manipulação emocional da sua vítima para que esta lhe envie dinheiro, presentes ou informações pessoais. Não menos comum é o sextortion, e o que geralmente começa como um relacionamento normal entre duas pessoas que começam a conhecer-se transforma-se numa situação em que o golpista tenta tirar a conversa da plataforma de dating, como, por exemplo, para o WhatsApp. Aqui, tentará convencer a vítima a enviar-lhe algumas fotos ou vídeos íntimos seus… para depois usar esse material lascivo para a chantagear.

No mês passado, nos Estados Unidos, um homem que foi vítima desse tipo de golpe – relatou uma estratégia de ataque similar a um caso relatado no Chile em 2018 – depois de conhecer a pessoa através de um site de namoro online e ganhar sua confiança, o golpista solicitou o envio de fotos íntimas. Pouco depois das mesmas terem sido enviadas, a vítima recebeu uma mensagem de um homem que alegava ser pai de um menor e que ameaçou reunir acusações contra ele por enviar uma imagem privada a uma criança, a menos que ele lhe enviasse dois cartões pré-pagos com 300 dólares cada. A vítima foi informada de que se tratava de uma farsa depois de entrar em contato com a polícia.

Outro tipo de golpe é o conhecido como “catfishing”, que consiste em atrair a vítima para um relacionamento online baseado numa persona fictícia.

Golpes relacionados com dating: Um fenómeno global 

Na Austrália, em 2018, foram reportados 3.981 casos de golpes relacionados com encontros online através das redes sociais, apps ou sites, o que representou perdas de mais de 24 milhões de dólares australianos; e até agora, em 2019, 349 casos já foram registados, o que significou perdas equivalentes a mais de um milhão de dólares australianos, segundo a Comissão Australiana de Concorrência e Consumidores.

No Reino Unido, o National Fraud Intelligence Office informou que, em 2017, a cada três horas, um caso de fraude relacionado com dating online foi reportado. Os dados mais recentes da Action Fraud revelaram que em 2018 mais de 4.500 denúncias de fraudes “românticas” online e estima-se que 63% das vítimas são mulheres, refere a BBC.

Um pouco por todo o mundo 

Um caso em Espanha ocupou as manchetes de vários meios de comunicação quando um homem, com o nickname “King of Tinder”, foi preso em 2018. Utilizando técnicas semelhantes a outros casos, este homem conhecia as suas vítimas através de apps como o Tinder ou Meetic, ganhou a sua confiança ao ponto da vítima lhe enviar dinheiro para a resolução de falsos problemas relacionados com a sua “família”.

Recentemente, no Canadá, veio a público a história de um jovem que gastou as suas economias para pagar as dívidas que o pai gerou como resultado de uma “fraude romântica”. O pai era um viúvo de 67 anos que conheceu um golpista que se fez passar por uma mulher no site de encontros Match.com. Logo depois de estabelecer “relacionamento”, o golpista, supostamente também do Canadá, começou a pedir ajuda financeira para resolver vários problemas inventados. Durante cerca de oito meses, foram feitas um total de 19 transferências bancárias de mais de 730 mil dólares para uma conta na Malásia.

Na América Latina este tipo de esquemas também não são estranhos. Em 2017, os meios de comunicação social argentinos deram a conhecer uma fraude através do Tinder. Depois de investigar vários casos, soube-se que todas as vítimas tinham sido contactadas por uma pessoa que, supostamente, procurava um relacionamento e vivia longe.

Depois de investigar vários casos, percebeu-se que a mesma forma de agir foi relatada em vários casos: o golpista fez-se passar por uma mulher atraente, enviou fotos provocadoras para a vítima, ganhando assim a confiança das vítimas. Solicitou e recebeu o número de telefone das vítimas, e uma vez estabelecida a confiança, convenceu as vítimas a enviar dinheiro com a promessa de devolver o “empréstimo” quando se encontrassem pessoalmente.

Como se pode proteger

Os utilizadores de sites e apps de dating devem ter em mente que qualquer um pode ser enganado. Ficam aqui algumas recomendações a reter:

  • Procure inconsistências; se encontrar alguma, seja cauteloso;
  • É normal que após algum tempo (semanas ou meses) depois de estabelecer alguma confiança, a pessoa que conheceu vai contar-lhe uma história muito elaborada que termina com um pedido de dinheiro, enviando um presente ou algo similar. Lembre-se que nunca deve enviar dinheiro a alguém que conheceu num ambiente de dating online antes de conhecer pessoalmente;

  • Suspeite sempre de alguém que tem sempre uma desculpa para não se encontrarem pessoalmente;
  • Nunca partilhe com a pessoa que está a conhecer informações que possam comprometê-lo, tais como fotos ou vídeos, principalmente quando não a conhece pessoalmente;
  • Se decidir encontrar-se com a pessoa que conheceu online, certifique-se que o faz num local público e seguro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*