FBI adverte sobre os riscos de segurança associados às Smart TV

Através de um comunicado, a entidade norte americana procura consciencializar os utilizadores sobre os riscos de segurança associados às televisões inteligentes.

O FBI (Federal Bureau of Investigation) aproveitou o momento Black Friday, evento com impacto a nível global, no qual se regista um elevado volume de compras por parte dos utilizadores, para informar sobre os riscos de segurança associados aos dispositivos inteligentes, nomeadamente às Smart TV.

Atualmente, com a enorme popularidade das plataformas de streaming, como sejam a Netflix, Amazon ou YouTube premium, entre outros, a maioria dos utilizadores prefere televisões que tenham ligação à Internet.

No entanto, e apesar de ser verdade que os fabricantes de televisões e desenvolvedores de aplicações nos ouvem e monitorizam, muitos são os utilizadores que não estão conscientes de que pelo facto de estarem ligados à Internet estes dispositivos podem permitir que um hacker entre no nosso lar, explica em comunicado o FBI. Leia mais sobre este assunto: “Smart TV: uma porta de acesso para hackers”.

Neste sentido, a partir da exploração de uma falha de segurança numa televisão inteligente um atacante poderia aceder a outros dispositivos ligado à mesma rede Wi-Fi e roubar informação pessoal, como sejam as passwords de acesso. Pode também acontecer o contrário, um hacker explora uma falha de segurança ou uma má configuração de um router que lhe permite aceder à televisão, como aconteceu no início deste ano, quando hackers tomaram posse de Smart TVs e outros dispositivos IoT para exibir anúncios.

Outro ponto mencionado pelo FBI é o facto de muitos dos modelos das novas televisões que chegam ao mercado incorporam câmaras, as quais são utilizadas em alguns casos para o reconhecimento facial e identificação do utilizador que está em frente à televisão para que possam fazer sugestões. Neste sentido, se um hacker tomar controlo da nossa televisão pode também controlar a câmara e o microfone incorporado para nos espiar. Uma opção recomendada pelo FBI, e caso não consiga desativar a câmara, é colocar uma fita preta a tapá-la.

Apesar de não serem comuns os ataques a televisões inteligentes, isto não quer dizer que não se tenham registado casos. Muitos dispositivos deste tipo não são seguros devido a más configurações que vêm de fábrica, principalmente como consequência da falta de consideração com aspetos de segurança durante a fase de design e fabrico dos equipamentos.

Quanto a recomendações para estar protegido, para além de fazer sempre as atualizações que o fabricante vai lançando, bem como aquelas que os desenvolvedores das aplicações instaladas na televisão, outra solução para por utilizar uma solução de segurança contra ameaças para Smart TV, rever as configurações para evitar deixar portas abertas e rever as políticas de privacidade, as permissões do dispositivo e das aplicações, para averiguar entre outras coisas, que tipo de informação recolhem e como a utilizam.

Para prevenir incidentes neste tipo de dispositivos, baseados em Android, a ESET disponibiliza uma versão gratuita da solução ESET Smart TV Security através da loja Google Play.

ESET Smart TV

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*