Investigadores de IoT da ESET descobrem múltiplas vulnerabilidades em dispositivos de smart home

A equipa de investigação de IoT (Internet das Coisas) da ESET descobriu várias vulnerabilidades em três hubs de smart home diferentes: Fibaro Home Center Lite, HomeMatic Central Control Unit (CCU2) e eLAN-RF-003.

Algumas das falhas de segurança podem ser exploradas por atacantes de forma a executar ataques man-in-the-middle, escutar a vítima, criar backdoors ou obter acesso total a alguns dos dispositivos e respetivos conteúdos. No pior dos casos, estas vulnerabilidades podem até permitir aos atacantes ganhar controlo sobre as unidades centrais e todos os periféricos a elas ligados.

As vulnerabilidades descritas neste artigo foram reportadas aos fabricantes em 2018, tendo estes lançado atualizações para a maior dos problemas. A publicação foi adiada devido à investigação da ESET sobre outras vulnerabilidades que estavam ativas na altura. No entanto, com o atual aumento da relevância da segurança em IoT, a ESET lançou esta compilação de descobertas passadas para informar devidamente todos os utilizadores de dispositivos afetados sobre a necessidade de os atualizar de forma a aumentar a sua segurança e reduzir a exposição a ataques externos.

“Descobrimos que as vulnerabilidades em dispositivos de IoT são um problema frequente. A nossa investigação prova que falhas em configurações, encriptação e autenticação não são exclusivas a dispositivos baratos, estando muitas vezes também presentes em hardware de topo” disse o especialista em Security and Awareness da ESET Ondrej Kubovič.

Um dos dispositivos vulneráveis era o Fibaro Home Center Lite: um controlador de domótica, concebido para gerir uma grande variedade de periféricos numa casa inteligente. Uma análise aprofundada do dispositivo pela equipa de investigação de IoT da ESET revelou uma série de vulnerabilidades graves que abriam a porta para atacantes externos. Uma combinação de falhas encontradas permitia até que um atacante criasse uma backdoor SSH e obtivesse controlo total do dispositivo atacado. Após ser reportada, a vulnerabilidade foi corrigida pelo fabricante.

Outro dispositivo, o HomeMatic CCU2, consistia numa unidade central de uma casa inteligente da eQ-3, apresentado também uma falha de segurança grave que permitia a um atacante executar código remoto não-autorizado como administrador. Esta vulnerabilidade tinha sérias implicações de segurança, incluindo permitir aos atacantes ganhar acesso total aos dispositivos HomeMatic CCU2 e potencialmente também aos periféricos ligados através de comandos shell. O fabricante corrigiu a falha depois desta ser reportada.

O terceiro dispositivo afetado era o módulo RF inteligente eLAN-RF-003, concebido para ser a unidade central de uma casa inteligente, permitindo ao utilizador controlar uma variedade de sistemas domésticos através de uma aplicação instalada num smartphone, smartwatch, tablet ou smart TV. Os resultados dos testes efetuados pela equipa de investigação de IoT da ESET mostraram que era perigoso ligar o dispositivo à Internet ou mesmo só à rede LAN do utilizador devido a uma série de vulnerabilidades críticas. Entre estas incluía-se autenticação inadequada, que permitia que todos os comandos pudessem ser executados sem login. O fabricante corrigiu algumas das vulnerabilidades reportadas, mas depois focou-se no desenvolvimento de novas gerações do dispositivo.

A ESET recomenda assim que todos os utilizadores dos dispositivos mencionados instalem as respetivas atualizações que corrigem as vulnerabilidades descobertas, protegendo-se assim contra eventuais ataques que visem explorar as falhas em dispositivos desatualizados.

Para mais informações, consulte o artigo completo no WeLiveSecurity (em inglês).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*