Três tópicos que deve abordar com os seus filhos antes que eles se juntem a redes sociais

Quais são os tópicos-chave sobre os quais os seus filhos devem estar bem informados antes de começarem a participar em redes sociais?

Agora que a tecnologia permeia todas as facetas da vida, as redes sociais tornaram-se parte do nosso dia-a-dia. E os adultos não são os únicos a entrar nelas; também há um número significativo de crianças a fazê-lo. Existem redes sociais feitas especialmente a pensar nelas, normalmente publicitadas como sendo cuidadosamente moderadas e onde as crianças podem interagir enquanto os pais mantêm algum controlo sobre as suas atividades. Até o Facebook introduziu uma versão para crianças da sua app Messenger.

No entanto, estas redes são espaços seguros moderados e filtrados que as crianças acabam por deixar quando chegam a uma certa idade. Assim, o que pode fazer para tornar a transição dos seus filhos para redes sociais tradicionais tão segura quanto possível? Neste Dia Internacional da Criança e Dia Global dos Pais, vamos listar alguns dos tópicos sobre os quais deve falar com os seus filhos antes que eles se juntem ao Facebook, Instagram, TikTok ou outras redes sociais.

De certeza que queres partilhar isso?

O que é posto na Internet fica na Internet: um ditado quase tão antigo como a própria Internet. Algo que até muitos adultos se esquecem, embora deva ser repetido sempre que vai partilhar alguma coisa na Internet. O mesmo ditado deve ser ensinado a crianças que se vão juntar a redes sociais direcionadas a adultos.

Se elas querem partilhar alguma coisa, devem sempre pensar em como isso as poderá afetar no futuro. Embora este conselho possa ser difícil para um adolescente seguir, continua a ser de extrema importância. Uma boa regra geral a ter em conta é perguntar-se o que é que um familiar mais velho diria se visse o conteúdo.

LEITURA RECOMENDADA: A que idade é que uma criança deve poder aceder a serviços online?

Outra maneira possível de sublinhar a importância deste tópico é avisar como algo dito em jovem pode ter consequências no futuro, invalidando escolhas de profissão ou até candidaturas a universidades. Infelizmente existem múltiplos exemplos de como tweets, mensagens em fóruns e até comentários em anuários escolares vieram ao de cima passados vários anos para embaraçar figuras públicas.

Conheces mesmo essa pessoa?

“Não fales com estranhos” é talvez uma das frases que uma criança mais ouve enquanto cresce. Este conselho é repetido não só pelos pais, mas também por professores, avisos públicos e séries para crianças. Assim, embora muitos adolescentes considerem que as redes sociais são mais seguras uma vez que são online e, portanto, “não contam”, os pais devem comunicar expressamente que os riscos são os mesmos e, em alguns casos, até podem ser piores.

Infelizmente, os pais podem ilustrar os riscos usando inúmeros exemplos de histórias que envolvem adolescentes vítimas de predadores online. Em alternativa, existem vários filmes e séries que lidam com o tópico de interagir com estranhos online. Como diz o provérbio: “mais vale ver uma coisa uma vez do que ouvir mil vezes sobre ela”.

Definições de privacidade

Quando os adultos se inscrevem numa rede social, raramente têm pressa em verificar as suas definições de privacidade, por isso também não podemos esperar que os adolescentes o façam, mesmo tendo nascido num mundo ligado. Outra coisa a ter em atenção é que as redes sociais estão constantemente a atualizar as opções de privacidade e segurança para acompanharem o aumento do escrutínio por parte tanto do público em geral como dos governos. Assim, é importante incutir nos adolescentes um sentido de responsabilidade em relação a como os seus dados são guardados e tratados.

Para esse efeito, algumas redes sociais introduziram ferramentas que permitem fazer uma análise da privacidade de cada um. O Facebook, por exemplo, tem o Checkup de Privacidade. Esta ferramenta completa permite a qualquer um ver o seu perfil pelos olhos de diferentes tipos de visitantes, desde amigos até estranhos, de forma a tornar mais fácil escolher o que partilhar e com quem. Outra opção muito útil permite limitar a visibilidade de posts passados e futuros. Pode ler o nosso artigo sobre as definições de privacidade do Facebook para ter uma melhor noção das opções existentes tanto para si como para os seus filhos.

Considerações finais

Criar um filho num mundo cada vez mais digital pode ser difícil, especialmente porque os tempos mudaram e muitas das opções e tecnologias de hoje não existiam no tempo dos pais. Por outro lado, é importante não ignorar estes desafios e preparar os seus filhos para os obstáculos que vão enfrentar no mundo digital, bem como no real, uma vez que ambos estão interligados. Ao falar com os seus filhos sobre os riscos e problemas das redes sociais e como lidar com eles de forma responsável, pode prepará-los melhor para a vida adulta e protegê-los, ficando mais descansado ao saber que eles vão ser mais cuidadosos online.

Para saber mais sobre os perigos enfrentados pelas crianças online e como a tecnologia pode ajudar, visite https://saferkidsonline.eset.com.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*