macOS: Ciberameaças crescem em Portugal

  • Em sentido contrário à maioria dos territórios avaliados, as deteções de ciberameaças contra macOS em Portugal registaram um crescimento de quadrimestre para quadrimestre (+15%).
  • Globalmente, o número de deteções em macOS diminuiu. Mas a ESET continua a descobrir novas ameaças para os utilizadores desta plataforma, como a backdoor CloudMensis.

A ESET divulgou novos dados do segundo quadrimestre de 2022 sobre a paisagem de ciberameaças em Portugal. Uma das observações mais destacáveis no mais recente relatório de ameaças é o crescimento das ciberameaças contra macOS em território nacional.

Globalmente, as deteções da ESET para os meses de maio, junho, julho e agosto deste ano mostram uma diminuição das ameaças contra macOS em relação com o quadrimestre anterior. Pelo contrário, em Portugal, foi registado um crescimento de 15% destas ameaças entre os dois quadrimestres.

Portugal está longe de ser o país onde a telemetria da ESET registou o maior número de deteções. Na categoria macOS, essa distinção vai para os Estados Unidos, Japão e França. No entanto, o crescimento atípico no território nacional para o período em avaliação é simbólico das novas ameaças que os utilizadores desta plataforma enfrentam.

A ameaça do CloudMensis

Recentemente, investigadores da ESET descobriram um novo malware que espia e rouba utilizadores de Mac comprometidos e usa exclusivamente serviços de armazenamento na nuvem pública para comunicar com os seus operadores. Designado CloudMensis pela ESET, as suas capacidades revelam a intenção clara dos seus operadores de reunir informação sobre Macs afetados, roubando documentos, teclas premidas, emails, anexos, ficheiros em armazenamento externo e capturas de ecrã.

Para mais informações sobre as deteções da ESET nesta e noutras categorias de ciberameaças, consulte o Threat Report T2 2022.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

12 + 1 =

*