Mantenha o smartphone do seu filho mais seguro

O bem-estar de crianças e adolescentes costuma ser uma constante preocupação para pais e responsáveis. Conheça algumas formas de tornar o mundo digital mais seguro para eles.

Existem dois pontos comuns quando falamos em aumentar o nível de segurança de um ambiente, computador ou smartphone: a educação e a consciencialização. Por isso, constantemente voltamos a este ponto, uma boa comunicação com crianças e adolescentes traz inúmeros benefícios no que respeita à segurança, pois quando se entende como são as ameaças tende-se a adotar posturas que possam evitá-las.

Mas é claro que não podemos ser ingénuos ao ponto de acharmos que apenas o conhecimento e aprendizagem fará todo o trabalho de proteção. Existem muitos tipos de ameaças, algumas delas são ativas e procuram novos alvos, outras passivas que são introduzidas em conteúdos ou softwares aparentemente inofensivos, mas tem o seu propósito malicioso e a sua atuação acontece sem que percebamos.

Por isso, pensámos em algumas dicas para auxiliar ainda mais na proteção de crianças e adolescentes e, por terem como dispositivos móveis, algumas delas podem mesmo aplicar-se a pais e responsáveis também.

Configuração de aplicações conhecidas

Várias aplicações possuem opções de segurança destinadas à proteção de crianças e adolescentes e costumam trazer benefícios interessantes aos pais, oferecendo normalmente um certo nível de controlo sobre a que conteúdo a criança estará exposta.

Play Store – utilizadores de Android

Ao aceder às opções, a aplicação permite que sejam configuradas faixas etárias permitidas para download de aplicações e filmes, e para músicas há uma opção que restringe a linguagem explícita.

A configuração pode ocorrer da seguinte forma:

Play store
Imagem 1. Configuração na Play Store.

 

Play Store
Imagem 2: Configuração na Play Store.
Play Store
Imagem 3: Configuração na Play Store.
Netflix

O Netflix permite a criação de perfis distintos para cada conta. Por exemplo, no perfil infantil é possível ter acesso apenas a conteúdos voltados para crianças. Além disso, há também a opção de configuração do controlo parental. Similar ao da Play Store, ao ser ativado pede para que o utilizador escolha um PIN e uma faixa etária. Desta forma, quando o utilizador tenta exibir um vídeo classificado para uma faixa etária diferente da estipulada na configuração, será exigido o PIN.

Netflix
Imagem 4. Nível de proteção Netflix.

Saber o que crianças e adolescentes têm instalado nos seus smartphones permite aos pais e responsáveis identificarem possibilidades de configuração de proteção dentro das próprias aplicações.

Falando um pouco de aplicações destinadas especificamente para este fim, quando se trata de controlar/acompanhar comportamentos de crianças e adolescentes, todos os recursos são poucos, pois eles tentam sempre fazer uso de diferentes formas para ter acesso ao que querem.

Quanto às aplicações existentes para permitir que os pais consigam atuar de forma mais presente na segurança e proteção dos seus filhos no ambiente digital, de um modo geral são dotadas de ferramentas que visam impedir que conteúdos não desejados cheguem aos seus filhos.

Aplicações

Google Family Link
Google
Imagem 5. App Google Family Link para pais.

Aplicação de controlo parental disponibilizada pela Google permite controlar e bloquear aplicações, definir tempo de utilização do dispositivo, localizar o smartphone, entre outros recursos.

ESET Parental Control
ESET
Imagem 6. App ESET Parental Control.

Para além da proteção contra conteúdo web inadequado e bloqueio de aplicações impróprias para certas idades, permite que os pais mandem notificações prioritárias para o telemóvel dos seus filhos, sobrepondo-se a todas as demais aplicações que estejam abertas e/ou em utilização. Conta ainda com a opção para que os filhos tenham de pedir autorização antes de instalar novas aplicações, permitindo uma gestão centralizada de todos os smartphones e tablets que os seus filhos possuem.

AirDroid e semelhantes
Airdroid Android
Imagem 7. App AirDroid.

Existem opções de aplicações de controlo remoto que também podem ser usadas com o intuito de proteger as crianças, como é o caso do AirDoid e outras aplicações semelhantes. Permitem o acesso remoto a diversas funcionalidades do dispositivo, como seja a transferência de arquivos, uso de câmara, entre outros recursos.

Observação: De um modo geral aplicações deste tipo exigem uma confirmação do utilizador para que determinados recursos sejam usados.

Proteção do dispositivo

Quando tratamos de segurança, não podemos deixar de falar sobre a proteção do dispositivo em si. E neste caso, tanto os dispositivos que pertencem aos pais e responsáveis quanto os das crianças e adolescentes, nenhum está livre das ameaças que rondam o ambiente digital. Sempre que possível conte com uma solução de proteção de endpoint mais robusta, e não apenas um antivírus. Soluções mais robustas conseguem identificar diversos tipos de ameaça em diferentes momentos da sua execução.

Muito pode ser feito para proteger os smartphones e computadores de crianças e adolescentes e, como sempre gostamos de reforçar, um bom diálogo explicando o porquê das necessidades de proteção e de que forma pode fazer a diferença entre a aceitação ou a recusa de aplicações e procedimentos que irão protegê-las. Mesmo sabendo que a imposição também funciona, os resultados por vezes não são tão significativos quanto abordar a questão da forma correta.

Escolha bem as aplicações às quais irá confiar os seus dados e dos seus filhos, inteire-se acerca das melhores práticas para utilização dos mesmos em fóruns, websites ou pesquisando na própria app, e procure fazer isso para todos os dispositivos que estiverem minimamente expostos a riscos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*